You are currently viewing Como empreender com a alta da inflação? Confira 4 dicas para minimizar os impactos

Como empreender com a alta da inflação? Confira 4 dicas para minimizar os impactos

Ter controle dos custos e buscar reduzi-los é fundamental para encarar momento economicamente desafiador

Saber negociar é fundamental para quem se propõe a empreender e, diante da alta da inflação, usar essa habilidade é determinante para tomar as melhores decisões. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, acelerou para 1,25% em outubro, após ter registrado taxa de 1,16% em setembro, cenário que tem exigido jogo de cintura.

A inflação em alta impacta todo tipo de negócio e preocupa quem já vinha acumulando os desafios impostos pela pandemia. E agora? Como buscar o equilíbrio? Como fazer isso sem repassar os custos para o consumidor? Quais as alternativas?

Consultamos Roberto Kanter, professor dos MBAs da Fundação Getúlio Vargas (FGV), para entender esse momento e ajudar o pequeno empreendedor a encontrar as melhores saídas diante da alta de preços em tantos produtos e serviços.

“A primeira dica é um olhar muito controlado para os custos fixos, de maneira que ele (empreendedor) não gaste dinheiro que considere desnecessário, não é momento para isso”, alertou.

E essa é só uma das dicas do professor. Confira as orientações, assinadas por Kanter, e esteja melhor preparado para diminuir os efeitos da inflação na hora de empreender.

1. Diminua os custos fixos

“O primeiro ponto é diminuir o custo fixo, não fazer investimentos desnecessários e adiar investimentos que vão comprometer o caixa da empresa, já que durante a inflação você tem gastos além do que imaginou. É preciso controlar de maneira clara quais são os principais custos, seja de matéria-prima, produto ou serviço”, afirma Kanter.

2. Coloque tudo “no papel”

“É importante ter uma planilha com o custo dos últimos meses, anos, e fazer um acompanhamento, verificar quanto que esse valor cresceu, entender quais são os custos mais essenciais e quais, além de serem essenciais, têm maior volatilidade”.

3. Negocie

“Após observar, se tiver capital de giro, considere comprar mais matéria prima ou alocar mais dinheiro em serviços para antecipar o aumento futuro. Às vezes, você consegue negociar uma compra maior, negociar um volume contratado de horas de trabalho maior, de maneira que você quebre esse círculo inflacionário”, diz Kanter.

4. Faça substituições

“Busque produtos substitutos ou serviços substitutos para custos como o de um contador, uma matéria-prima, um provedor de internet. Tente negociar com eles ou busque uma alternativa mais barata”, recomenda.

Deixe um comentário