You are currently viewing 5 dicas para saber se o seu negócio é franqueável

5 dicas para saber se o seu negócio é franqueável

A Associação Brasileira de Franchising (ABF) divulgou recentemente os dados que revelam o desempenho do mercado de franquias em 2021. Mesmo em um momento de pandemia, o setor faturou R$ 185 bilhões no ano passado, chegando bem próximo ao patamar registrado em 2019, período pré-pandemia, que foi de R$ 186 bilhões.

Segundo o balanço, os 11 segmentos categorizados pela ABF apresentaram crescimento em 2021 comparado com 2020, sendo que Casa & Construção e Saúde, Beleza e Bem-Estar foram os principais destaques. Para 2022, a Associação prevê um crescimento de 9% no faturamento.

“Mesmo em um momento de crise global, o franchising mostrou a sua força. Muitas franquias ampliaram a sua maneira de atuação e passaram a ser mais digitais, para conseguir atender mesmo com as medidas restritivas e isso contribuiu bastante para esse bom desempenho”, disse Fred Ferreira, especialista em expansão de franquias e consultor da Como Franquear.

O mercado de franquias é uma modalidade que atrai empreendedores do mundo todo por ser um investimento de menor risco, já que o negócio é testado e aprovado pelo mercado antes de iniciar o plano de expansão.

Dessa forma, muitas empresas que desejam ampliar a companhia como franchising, precisam ficar atentos a alguns requisitos que tornam o negócio franqueável. Confira!

1. Maturidade do negócio

Antes de franquear, é essencial que a empresa já esteja consolidada no mercado, com um modelo de gestão eficiente e com clientes que confiam nos produtos e/ou serviços.

É necessário ter todos os dados sobre a operação registrados e detalhados, como fluxo de caixa, todos os tipos de custo (produtos e serviços, mão de obra, operacional, etc.), margem de lucro, retorno do investimento, legislação, entre outros.

2. Estruturação dos processos

Para ser uma franquia, o negócio precisa ser replicável e para isso ser possível é necessário estruturar todos os processos da empresa, criando metodologias próprias de atuação, desde o controle de caixa, recrutamento e seleção dos colaboradores até as operações comerciais.

3. Padronização da marca

Um dos diferenciais do modelo de franquia é a padronização da marca, do produto/serviço e do atendimento. Esse processo se inicia desde o layout do espaço físico até a excelência no atendimento. As pessoas precisam encontrar a marca e saber do que se trata e receber a mesma qualidade de atendimento e produto/serviço independente de qual unidade ela for.

Para que isso aconteça, o empresário que deseja franquear precisa padronizar tudo, modelando todo o negócio para que no momento de replicá-lo, tudo saia exatamente como foi definido.

4. Unidade piloto

A unidade piloto é uma unidade teste comandada pela própria franqueadora e instalada nos mesmos moldes de uma unidade franqueada. Nela, a franqueadora confere todo o funcionamento e realize os ajustes necessários antes de começar a replicar a operação.

Muitos especialistas recomendam que a unidade piloto funcione por pelo menos um ano até o empresário franquear a marca.

“A unidade piloto é uma importante etapa do processo de franqueabilidade de uma empresa, pois nesse momento o empresário pode avaliar a eficácia do modelo, checando os custos fixos e operacionais, lucratividade, fluxo de caixa, etc. Também são testados todos os processos operacionais, bem como os produtos e/ou serviços oferecidos pela empresa. O franqueador pode até utilizar a unidade teste como exemplo para os potenciais franqueados conferirem o funcionamento da franquia”, explicou o consultor da Como Franquear.

5. Assessoria técnica e jurídica

Assim como qualquer modelo de negócio, existe uma legislação por trás do franchising que determina todas as informações que o franqueador deve fornecer ao franqueado para que ele tome uma decisão consciente no momento de investir. Documentos como contratos, Circular de Ofertas (COF) e manuais são alguns exemplos.

Para essa etapa ser realizada o franqueador precisa ter profissionais técnicos e jurídicos envolvidos, portanto, contar com uma consultoria especializada e experiente é a melhor maneira de realizar todo esse processo. 

“Muitas empresas têm dúvidas se estão prontas e maduras o suficiente para começar a expandir como franquia. Por isso é importante contratar uma consultoria desde o começo da etapa, ou seja, desde quando surge a ideia de franquear, assim esse empresário ou empresária poderá ser assessorado durante toda a trajetória de formatação do negócio”, concluiu Fred.

Deixe um comentário